quarta-feira, 30 de junho de 2010

Era dele


E quando menos percebeu, ele havia roubado sua respiração, tirado sua armadura, arrancado seus cabelos, sequestrado o seu calor, amarrado seu olhar, desdenhado o seu medo. Quando se viu, nada mais restava. Até o que restava era dele agora.

Tristeza raptada


Não me venha com promessas falhas,
meus sonhos são vividos em todo segundo.
Eu tenho praticado todos os meus planos, seguido com meus objetivos.
Não me traga o seu desânimo e nem me desampare logo agora.
Ah, o destino, ele veio.
Estou pronta para voar, para cair, para ficar.
Não diga que isso te surpreende.
Eu sempre fui uma montanha-russa.
Sempre imprevisível e inconstante, mutável e insana.
Não esqueça de trazer as violetas.
Isso sempre foi minha felicidade constante, talvez isso nunca mude.
A tristeza foi raptada, e dessa vez meu anjo não foi embora.
Não fique com ciúmes, ele também vai te proteger.
Eu agora vou embora e quero estar de volta.
Sim, eu estou chegando,
para ficar contigo, para ser você.
Não se preocupe com a despedida, ela também será intensa, como todo o resto.


terça-feira, 29 de junho de 2010

Há muito tempo


Ontem ensopei o travesseiro antes de durmir.
Há muito tempo não chorava assim.
Foi impossível conter as lágrimas,
Porque as minhas piores dores são palavras que não posso dizer.

Sensação boa


A muher de moleton vermelho surrado e saia até o joelho, cabelo despenteado e de passos largos deve estar indo ao supermercado.
E o ciclista de camiseta branca meio amarelada, calça jeans bem gasta e boné meio de lado deve estar com pressa, porque ele se levantou para dar mais impulso nas pedaladas.
O homem que está dentro do carro sem o cinto de segurança, deve estar impaciente, suas mãos batem no volante ou se não, está ouvindo música e suas mãos batem conformem o ritmo e seu carro apesar de não ser muito novo, deve ter ar condicionado porque o vidro está fechado ou não. A outra moça de salto e blusa amarela com a bolsa grande e preta, prende metade dos cabelos com a piranha, e só balança um braço, com o outro ela segura a bolsa, ela parece irritada com o buraco na calçada que seu salto insiste em enfiar.
Não quero conhecer nenhum deles, mas descrevê-los me deu uma sensação boa.
Fica estampado na sua cara que todos estão seguindo com o seu dia, que cada um tem a sua vida, e que eu não sou mais fraca, nem menos forte. Estou fazendo como eles. Estou levando a vida.
É raridade quem desiste dela. E se compensasse tanto, a maioria o faria.
Sabe, eu não sou maior que o mar. Nem menor que o grão de areia.
A individualidade traz sua liberdade, estou com vontade de aproveitar ela.

Grite!


'Não esqueça de tomar o remédio logo pela manhã Marina.
E saiba que o dia não será como os outros, talvez hoje ele não esquecerá de ligar.
Diga para seus colegas que você está sobrecarregada, não guarde isso, olhe só pra você.
Para você, Marina.
Não importa se sua mãe não ficou doente, também faz dias que você não a vê.
Vá vê-la Maria. Ela ora todas as noites por você. Ela espera que você vá.
E então busque a felicidade e a encontre. Ela está no nascer e no pôr do sol.
Ela está onde você não está dando valor.
Onde você não repara. Onde você acha que não faz diferença.
Você sabe ver o fluxo de carros, sabe correr para não chegar atrasada, sabe adiantar o trabalho, sabe compreender os gritos do seu patrão, sabe, compreende, você guarda tudo Marina.
Grite!
Não adianta,
O mundo não é do tamanho das suas costas. E o peso dele é o triplo do seu ou mais.
Pois é Marina. Não é fácil. Ninguém avisou que seria tão difícil.
E você se esqueceu. Esqueceu que o Bolota (seu cachorro) gosta de passear no final da tarde.
Agora ele está triste, assim como você.
Ah, Marina... O que aconteceu?!
Os ingredientes estão em cima da mesa e você não fez o bolo Marina!
Sabe, eu acho que...
Um dia você acorda.
Um dia você se dá um tempo. Quem sabe assim você voltará a ser a mesma.
Eu espero Marina, você faz falta.'

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Ana veio


Um ano antes, nasce alguém mais forte que eu. Com pensamentos quase iguais, de opinião forte e com personalidade decidida.
Esse alguém se fez presente na vida de todos que a conheciam mesmo não estando.
Ela dançava na chuva e cantava com o vento.
Não se podia imaginar sua vida sem todas as suas cores, sem aquele brilho no canto dos olhos.
Todos que a viam, logo se contagiavam com seu sorriso e o mais impressionante é que podia ser quem fosse, ela supreendia.
Surpreendeu em todas as fases de sua vida. Surpreendeu coisas, pessoas, animais, tudo.
Ela disse sim quando todos esperavam um não.
E ela demonstrou sua grandeza quando não havia mais espaço.
Entrara na minha vida, e já havia entrado na de tantos outros, sorte a minha, sorte de todos.
Encantava e nunca desencantava, nasceu com esse dom, com esperança excessiva.
E todos queriam estar perto, pegar um pouquinho da sua auto-confiança.
Ao contrário de todos, seu coração estava na palma das duas mãos, qualquer um podia pegar um pouquinho se quisesse.
Era de se admirar. Era ela, que certo dia conquistou o amor.
E esse sentimento que sempre esteve, agora, pulsava mais forte.
Estranhou a situação de se estar tão envolvida com alguém, assim como todos estranharam.
Mas, como poderia ser estranho?
Só de olhar dá para ver: - Ele, feito pra ela.
- Ela, sua maior conquista.
Queria que o mundo fosse só dele e dela e mais ninguém, mas ela nunca conseguiu.
Nunca conseguiu deixar de pensar em quem a amava.
Sua família veio em primeiro lugar. Ele depois. E claro, suas tantas e diferentes meninas, ora amigas, ora irmãs, que conquistava a cada passo, em cada estrada, em qualquer lugar.
É mesmo digna de tantos elogios, de tantas alegrias.
Merecia o mundo embrulhado numa caixa preta de bolinhas brancas e fita vermelha.
Merecia o mundo sem suas maldades, sem o rancor das pessoas, sem os sentimentos ruins.
E sabe, ela deixa o mundo assim.
Ela entrou na minha vida e assim como os outros, não a deixarei sair.
E sim, é ela quem me tira do frio e do calor excessivo, que faz acalmar as coisas.
Ela, há dois anos e meio, é minha. Compensarei o resto da minha vida os outros anos que não a tive. Simplismente limparei a casa, enfeitarei o jardim. E ela virá.
Como veio sempre, em todos esses dias, Ana veio.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Do inferno, o paraíso


E agora eu encosto a cabeça no travesseiro e sonho acordada com você.
Ainda mais depois de ter ouvido você cantar, de suas palavras ecoando na minha mente.
Porque, assim como eu não sei rir sem mostrar os dentes, eu não sei ser feliz sem os seus passos nos meus dias, suas manias nas minhas noites.
E eu não precisarei de mais nada quando o tempo for seu.
Terei felicidade completa e amor de sobra.
Com você eu faria do inferno, o paraíso.
Você assim, comigo, sem mais, sem menos, apenas isso.
E juntos andaríamos pelo caminho errado, voltaríamos pelo caminho certo, pegaríamos um atalho ou daríamos voltas e voltas. Porque o sentido de tudo é você, não importa onde, nem quando, nem como.
Seria festa todos os dias. A música não pararia nunca.
E nós dois dançaríamos dias e dias, a dor iria embora.
As flores do meu vestido vão estar mais coloridas...
E o encanto em todos os lugares enquanto assim permanecer.
Enquanto sua mão estiver entrelaçada a minha.
Porque se você estiver, o resto não importa.
Não importa para mim, nem para você, meu começo, meu meio e meu fim.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

A gente vai descobrir isso



- Alô?
- Oi, como você tá?
- Eu estou bem, e você? - respondeu com a voz trêmula ao perceber a voz dele.
- Eu também...
O silêncio dele, a respiração ofegante dela.
- Não aguento mais.
- Nem eu, o que faremos? - perguntou desesperada.
- Você acredita em mim? Acredita no meu amor? -Continuou indagando.
- Sei lá, estou meio confuso...mas, a gente vai descobrir isso, juntos!
- Eu também fico assim, as vezes. - Ela disse quase sem voz.
- Mas, é só por um tempo. Tenha paciência.
- é, terei.
- Beijos, fique bem menina.
- Tá...um beijo!
E assim, se debruçou na mesa, e as lágrimas desceram.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Vontade de partir



Quero ouvir todos os ecos do meu coração.
Tirar todas as dúvidas, ver você e ter certeza que não foi apenas sonho.
Porque te sentir vai dispensar todas as palavras,
Desarmar a guerra, dissipar as contradições, aparecerá a verdade.
Tenho certeza que nessa hora, vou sorrir por dentro e por fora, minha alegria de agora, meu maior amor constante e jamais perdido.
Cansei de planejar o futuro, estou querendo ele agora.
Você se concretizando, minha ilusão de amor se tornando real.
E não precisarei esperar mais, você está.
E aí você verá todo o amor guardado, escondido e trancado por você.
E aí amor, você sentirá e jamais sentirá vontade de partir.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Sabe me acalmar



Cansei de exagerar, de fazer da minha vida e da sua um drama.
Se você quer palavras simples, terá.
E se você quer que eu seja sincera, serei como água cristalina, pura e transparente.
Confessarei meus erros, tentarei ser desculpada. Te mostrarei que você também erra, principalmente comigo.
E minhas ações são bobas, e eu me vejo criança e eu gosto da guerra.
E eu espero um carinho quando te dou um tapa.
E eu quero que você faça o que eu faço, que você sinta o que eu sinto. Tão egoísta eu sou.
Mas, eu tenho essa sede imensa de ser compreendida, de ser sua, de ser quem você procurava.
fico desejando que você se importe também, que não ignore as hipóteses, que não tenha certeza de tudo e que as vezes lhe falte coragem.
Quem sabe assim, meu maior bem, você sinta.
Sinta que lhe falta o brilho, que há um imenso vazio, que os dias passam e o medo castiga.
Eu sei que lhe digo coisas sem nexo, e que quase nada em mim faz sentido, e que isso te cansa.
Mas, eu quero te afetar, chamar atenção, ser algo mais, te chamar e ter resposta.
Talvez você saiba, não, vc sabe me acalmar.
É só você me doar um pouquinho da sua paciência, e eu te prometo que as coisas serão melhores.
Porque eu tentaria ser só o bonito da sua vida, mas eu nem sempre consigo.
Mas assim como você, sou sua vida, ora bonita, ora nem tanto.

Ele e ela


Ele quer, ela
Ela, me quer
Me faz dançar, só ele
Só ela, me faz amar
ele, que sabe dela
Já não sabe, ela
Amor dele pra ela
Ela é dele, diz ela
que ele, é ela
e nada, ele sabe
ela, vai querer
ele, sem mudar
os dois, pra sempre

Então, ele me faz amar, sabe ela, diz ele, nada vai mudar, sempre.

Fracasso de perfeição



Ela viu que não compensou sair de casa.
Que os rostos de ontem tinham mudado de expressão e que a música, embora conhecida, não era mais a mesma.
Não entendeu o porque de se sentir sozinha já que estava com várias pessoas em sua volta, e se arrependeu por tudo que tinha feito na noite passada. Colocou a culpa na bebida e na sua imaturidade.
Besteira! Ela sabia o que fazia, por isso a culpa veio a tona. Por isso era tão difícil se perdoar.
Não se culpava pelo erro e sim por não ter aguentado. Por não ter sido forte.
Sua fragilidade, suas carências escritas no outdoor da avenida. Pena...
Sentiu raiva e não se arrependeu, pois sabia que o arrependimento era um dos sentimentos mais redundantes que alguém poderia ter.
No canto da escada, encontrou uma maneira de se acalmar, assumiu a diferença alarmante dela e as outras pessoas. Viu gente correndo, dançando, rindo, olhando, cambaleando..talvez gente feliz.
E ela estava em tudo, menos feliz. E as pessoas que a elogiavam não conseguiam ver além dos seus olhos. Talvez vissem tristeza, mas só talvez.
Com a cabeça girando resolveu voltar pra casa. A decisão mais sensata do final de semana.
Se sentiu melhor estando sozinha. Ela estava onde realmente deveria estar, se sentindo só, mas agora ela estava só, mesmo.
Assim, a noite passou e levou com ela aqueles momentos, aqueles inúmeros pensamentos.
Resolveu chamar tudo aquilo de lembrança - dessas que a gente coloca numa caixa, e a deixa em cima do guarda-roupas - ,um dia talvez se lembre.
Acordou para um novo sol que havia nascido. Reparou que apesar de tudo ele sempre vem.
E estava pronta pra errar de novo se preciso, pra acreditar em todas as mentiras que o mundo lhe fala.
Porque independente de tudo, a vida é assim mesmo.
E ela aceitou o que era, e passou a entender que a perfeição não existe, seus erros e defeitos faziam parte de tudo que ela vive, parte dela.
E no fundo ela acredita, que alguém gosta dela assim, com todas as manchas na sua roupa branca.


sábado, 19 de junho de 2010

Só por enquanto

E o cansaço do final do dia me trouxe também o desânimo de esperar por você.
Agora a dúvida está me corroendo mais do que antes.
Compensará a solidão?
Eu acabo não olhando outros olhares,
eu acabo me fechando,
eu acabo querendo somente você.Eu me acabo.
Os dias vão passando e o meu dia com você nunca chega. E me pergunto até quando isso tudo vai durar, e me pergunto, e me pergunto, e as respostas nunca chegam, com você.
Porque eu fico assim, sem graça, triste, mau humorada, desanimada, entediada com a minha casa, minha vida, minhas horas vagas sem você.
"Eu preciso descobrir a emoção de estar contigo", a sua voz fica ecoando no fundo da minha mente e quando ela vem, meu coração sorri.
A partir daí percebo a mudança que você causa em mim. Me entorpece, e tudo agora é colorido.
E tenho vontade de fugir de tudo isso, de correr pra você, porque esperar mais?!
Mas, eu persisto, eu aguento. Não ter você.
Pois, meus sonhos me ajudam a convencer que é temporário, que logo estarei com você.
E se não for pra sempre, será intenso.
E se não for como nos sonhos, será melhor porque vai ser real.
E se caso esse dia não chegar, eu não sei se eu aguentaria...
Não suportaria nunca ter você, eu suporto sim, mas só por enquanto amor.


sexta-feira, 18 de junho de 2010

Sem mais

Ontem quando saí de casa, pensei ter levado aquele caderninho com a capa surrada dentro da bolsa. Mas não, quando cheguei no lugar esperado, onde o sossego era absoluto, ele não estava lá.
O vento me tirava a poeira e o pôr do sol me aliviava a dor.
O momento exato, um lugar bom.
Tinha tudo pra me abstrair, pra ficar calma e não pensar nas bobeiras que eu te disse ontem.
Nas desculpas de hoje que não adiantaram em nada. Nas minhas confusões e confissões.
Escreveria tudo naquele caderninho, como ponto de fuga, como se fosse tirar tudo de mim e colocar nele.
Eu que não gosto da solidão, encontrei um alívio em meio a guerra.
Estava animada em tirar toda aquela pressão do peito, aquele peso das costas, você.
Daqui, olho para tudo que está em volta, tento gravar os detalhes, tento não esquecer cada palavra que ensaiei pra te dizer olhando em seus olhos cansados.
Você e sua inconstância deveriam sair da minha vida.
Deveriam, e eu queria saber como fazer isso.
Enfim, não é amor, ou pelo menos já deixou de ser.
Minha necessidade de você está ligada a carência, a culpa do que deveria ter sido e não foi.
Você, meu amigo que me beija os lábios.
Meu amigo que me tem como sua, mas ainda, amigo.
Você deveria parar de pensar que pode ser diferente e que ainda acredita em mim.
Quando eu durmo, você tira sua máscara e demonstra seus pensamentos.
Suas ações não condizem com o que você fala.
Você quer se machucar mais menino.
Você tem que aprender que a palavra nós não cabe mais entre a gente.
Existe eu e você hoje, e não sei se isso consegue, durar...
até amanhã.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Você veio


'O sol forte de hoje até me faz esquecer do tremor que eu sentia com o vento gelado de ontem.
E seu bom dia entusiasmado não me deixou lembrar dos muitos 'boa noite' que me faltaram quando você não estava.
Agora sinto o sangue me correr nas veias, minha doença diminuir.
Meu peito se afastou, ele está deixando o ar entrar nos pulmões.
Me pergunto se é sua presença que muda tudo, que faz as coisas girarem para o lado que eu pensava não existir mais.
Acabo me preocupando se isso tudo vai durar, se o inverno irá voltar.
Mas, sabe, se você estiver, ele será bom ou menos pior.
Porque eu terei o seu corpo ao invés dos cobertores, e terei os seus cuidados quando a gripe ficar forte...E sabe, eu não me importaria com ele se você continuar, aqui.
Já me decidi em não pensar que suas idas serão definitivas.
Prometi pensar que você sempre vai voltar, de uma forma ou de outra.
Assim as coisas ficam mais leves, mais calmas...
Eu sei que não posso viver só do seu amor.
Eu não vivo dele, mas é sério, é ele quem me ajuda a viver.
Eu já sei, já sei, você me ama.
- Então, eu não tenho medo do futuro. Agora eu sinto, ele não é só meu.'


(Song: See you Soon - Coldplay)

Porque você a ama?

-E porque você a ama?
-Porque ela não acredita toda vez que digo isso a ela.

Mais uma história

Nossa história começou como outra história qualquer. Alguém que não fazia parte do meu mundo, de repente fez com que nada fizesse sentido sem ele. E trocamos ideias, dividimos as tristezas, exageramos as alegrias, e brigamos e brigamos antes de se dar bem.
Você quebrou as convicções que eu tinha de você nunca ser pra mim, de você simplismente viver em outra órbita, de não girar no mesmo planeta que eu.
Mas nas melodias éramos tão parecidos e seu sorriso era como uma droga que me alucinava, me deixava boba, e como todas as outras, ele viciava.
Comecei a esperar pela hora do dia em que eu fosse falar com você. E aí me toquei o quanto isso andava me fazendo bem.
Tinha andado um tempo desiludida, acho que em algum momento a gente acaba deixando de acreditar no amor.
Mas, mergulhei fundo em você, pensei que você seria o meu mais novo e melhor amigo.
E você foi, até mais que isso.
Foi a partir daí que a amizade acabou.
Porque suas amigas começaram a me incomodar, e meu ciúmes não era porque você poderia se encantar com elas, mas sim, porque eu tinha certeza, que elas iriam ser enfeitiçadas por você, como eu fui.
O amor começou a me incomodar. E brincadeiras foram fazendo todo sentido.
Você era - o amor da minha vida daqui até a eternidade - até quando eu pensava sério.
E foram assim que suas fotos tomaram conta de todos os lugares.
E foi assim que eu passei a ouvir só a sua voz.
Não queria confessar, mas eu amo até seus defeitos.
Não posso nem pensar nessa vida sem você, e eu nem poderia...
Continuar.
Então me entrego a você, como se isso fosse uma escolha.
Não vê? é minha única saída.
Todo o resto já não tem mais graça.


(Song: Road Trippin - Red Hot)

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Pra você

- Toma, um pouquinho de paz pra você.

Fantasma


Ao abrir os olhos, a escuridão se foi.
A luz não é forte, mas também não é tão fraca.
Posso ouvir os ruídos daqui de cima, você na cozinha, preparando o lanche que matava nossa fome em todas aquelas madrugadas.
Parece que ouço você cantarolar e seus passos pelo chão, arrastando o chinelo.
Por um minuto fecho os olhos e você está subindo.
Inacreditável, você está aqui.
E de repente ao meu lado.
É nesse momento que os móveis mudam de lugar, que a noite não é mais a mesma.
E o som da tv não faz a mínima diferença ao som da sua respiração.
E eu choro, eu começo a rir, eu me desespero, eu me alegro, e eu fico estranha, e eu penso como é possível?
E começo a pensar que pode ser a última vez, e tenho medo de perder tudo isso, e tenho receio que você se espante, se espane, e eu fico feliz por te ter, e me sinto realizada, e não quero que acabe.
Não é nada normal um abraço ter tantos efeitos colaterais.
E os seus braços fazem isso comigo. Me transforma, me faz sentir um turbilhão de coisas simultâneamente.
Seu corpo junto ao meu no meu sonho, no meu delírio, nos meus vultos.
A minha noite assombrada por você, por você amor.
E eu sempre faço isso. Faço questão de te imaginar, de te sentir, mesmo que seja loucura.
Mesmo que ainda não seja real.
Mas, saiba, é só uma questão de tempo.
Enquanto não te tenho para sempre, te tenho todas as noites..
Ainda que você não saiba, ainda que você esteja durmindo, sonhando comigo, talvez.
E é assim que meus dias passam, eles esperam ansiosamente pelo seu abraço de noite.
Pelos seus barulhos e seus jeitos.
E veja como são as coisas, até minha loucura é sua.
Até ela te quer.


(Song: She's the one - Robbie Williams)

Porque você o ama?


- E porque você o ama?
- Porque ele não precisa de mim.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Ruy


'Quantas vezes eu te olhei e te vi feliz. Muitas vezes te vi e pensei sobre ser segura de si mesmo, de não me importar, de odiar a todos, de viver meu mundo, de não me abalar, não me deixar afetar.
Eu queria ser igual a você.
Algumas vezes te vi relapso, e pensei ver alguém vivendo um outro mundo do qual eu não conhecia..do qual eu nunca me fiz saber.
Uma barreira. Você, tão diferente, e talvez tão imiscível.
Me provou que nada é o que parece ser.
Da onde vinha aquela voz suave, as palavras doces, de alguém tão nem aí, tão egoísta a princípio.
E de onde você tirou aquele grande sorriso largo dado de presente pra alguém que você nem sabia se lhe queria bem.
Seu coração de portas abertas pra quem quer que fosse.
Conheci suas empolgações, seus medos, suas nêuras.
E depois percebi, aquela segurança era uma máscara. Talvez uma proteção.
Vi o quanto há de mim em você. Do quanto você precisa do amor, e o quanto eu preciso de você.
Não podia acreditar que você, com todas as suas cores e gritos, ora ficava triste.
Quase sempre tão desiludido...Porque você nunca soube, o quão adorável você é.
E aquela pessoa insensível sumiu quando me acolheu, mesmo eu ensopando sua blusa...
Mesmo eu te passando minha doença.
Aquela pessoa de vidas passadas, da vida de agora, e de outras vidas que virão.
Porque não veio antes?
Minha vida precisava das suas frases, dos seus livros, das suas músicas, dos seus amores.
Minha vida sempre quis alguém assim.
Você apareceu do nada e me provou que você não era bonito só por fora.
Me mostrou um outro alguém. Alguém totalmente diferente do que eu via, do que eu não tocava, do que eu julgava, de longe.
O que dizer sobre você se as palavras bonitas foi você quem inventou?
Eu só quero, eu só espero, que você nunca me esqueça, nunca me deixe.
Temos planos e sonhos. Amores e desamores. Nossa liberdade nos consome.
E passaremos pelo que for juntos. Porque eu não me vejo sem você. E seria tão clichê terminar dizendo que eu te amo.
Eu sei que você já sabe.
Que eu jamais poderia, sorrir sem seus dentes, amar sem seus braços.'


(Song:The Scientist - Coldplay)

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Amor de verdade

Acontece poucas vezes na vida: o amor verdadeiro.
Não acredito que ele seja um apenas. Mas, acredito que ele seja raro.
Ele acontece quando a admiração vai além das palavras e quando a confiança é a base de tudo.
Quando vejo sair flores da boca dele ao falar dela. Quando ela parece perdida com seu olhar intacto, mas não. Sim, ela pensa nele.
O amor verdadeiro exibido e exprimido entre os dois.
A alegria dela chegando com ele de mês em mês.
E o ânimo dele em prosseguir quando pensa que qualquer esforço será para ela, é dela.
Lá estão eles! Separados, mas juntos.
Ela está sozinha sentada na mesa,a sombra dele no seu copo.
O vejo caminhar pelas ruas e ela nos seus passos.
Como pode isso? O mesmo amor em duas pessoas. Os mesmos sentimentos batendo em dois corações.
Devem ser os olhos e as bocas dedicadas a ele, o perturbando todas as noites, o lembrando, o deixando com saudades.
São as músicas que sempre tem a voz dele tocando no escuro do quarto dela, no frio dos seus cobertores quando ele não está.
São eles que estão esperando o futuro que estarão grudados, mas não deixam de viver o amor. Não deixam de viver o amor deles.
Cada um no seu mundinho.
O mundinho dela com as cores dele.
O mundinho dele com o cheiro dela.
Eles se pertencem e não há vírgula. Não há ponto final.
Apenas a palavra sempre os rodeando.
O amor verdadeiro. O amor de sempre, o amor para sempre, seja hoje ou amanhã. Em minas ou são paulo.
E olha, eles não precisam de oxigênio, eles tem o amor. O mais puro amor.



(song: Mais uma vez - Leonardo / legião)

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Meu amor distante


'Sabe, eu ouvi dizer que os amores impossíveis são os mais encantadores.
Devem ser. Nunca consegui ver ou viver algo parecido sem que uma lágrima caísse.
Parece que eu sempre fiz questão de querer o que me aconselhassem:
- Aquele ali não pode.
Frase mágica. Lá estava eu, boba e apaixonada por quem meu pai não queria.
Coração teimoso esse meu. Sempre soube disso.
Teimoso e intenso. Me entrego demais, eu sinto demais.
E tudo isso faz da minha vida um belo e até sarcástico drama.
Outra palavrinha mágica para os meus amores seria: distância, diferenças, incontido, proibido.
Era perfeito pra eu me iludir. Eu sempre gostei do que é diferente de mim.
Eu sempre teimei em querer o que era e é difícil.
Não me arrependo. Não se controla os sentimentos.
Eu não imaginei amar você, só você.
E eu não me culpo, e eu não me queixo de chorar, você vale cada suspiro.
Se hoje estou assim, a culpa é sua, mas não há punição.
A não ser que você considere punição ter uma louca e impulsiva menina, ora mulher, que te amará sem prévio aviso...sem prazo de término.
Nosso amor impossível, será um dia, nosso único alívio, nosso único amigo.
Sei disso, como sei que o céu é azul,cinza, preto, roxo, céu.
Sei que sou sua, confirma toda noite a lua - Que é a mesma aqui - Aí, onde não estou.'

quinta-feira, 10 de junho de 2010

O Paraíso


'Todo mundo em alguma vez na vida já quis ir para o paraíso. O medo da morte está aí pra todos verem: cerca elétrica, sinto de segurança, capacete, guardacostas, trancas, cadeados, equipamentos, hospitais, tudo. Tudo afim de nos manter seguros, bem e vivos.
A esperança está no fim. Mas, ninguém quer o final.
O paraíso é um desejo de todos, já que as dificuldades aqui, nos faz desistir de querer ficar, nos faz querer um lugar melhor...todos procurando onde não há dor, onde há paz, paz, sempre, sempre.
Um dia me disseram que ninguém tem nada de bom sem sofrer.
Como poderia merecer o paraíso se uma lágrima que cai eu me desespero?
Se na primeira oportunidade eu desisto de tudo, do mundo, de viver?
Como saberia o que é paz se me queixo de todos e não consigo mudar meus defeitos?
E é tudo tão irônico meu rapaz.
Parece drama na tv. Mas, veja, é sua vida, minha vida.
Tão engraçada às vezes, tão sem graça muitas vezes.
Choramos a morte de alguém querido porque temos o egoísmo de querer essa pessoa perto da gente. Deveríamos estar felizes.
Afinal, ela está indo para onde você várias vezes desejou ir, não?!
Oh, mas ela queria tanto viver. E você que ainda pode, não quer? Não quer.
Sonhamos muito com o paraíso. Com algo perfeito.
Mas, ainda temos. A vida inteira pela frente para sermos perfeitos.
Um lugar perfeito, merece gente perfeita não?!
Estou pensando nisso.
Em viver o meu paraíso, já.
Até lá, se Deus quiser.'

Aceite


"E a vida nos ensinou...


Viva a arte de engolir sapos!
Calma, estou praticando."

quarta-feira, 9 de junho de 2010

O fim e o novo começo


'Depois de um ponto final há sempre um novo começo. E como dá preguiça começar de novo.
Estamos acomodados com tudo. Somos acostumados com a nossa vidinha, nossas coisinhas.
Eu estava acostumada com você. Já tinha familiarizado com seu cheiro. E sua voz preenchia todos os ecos da casa. Eu havia me acomodado a ter sua ajuda rotineira, a ser aquela pessoa diferente perto de você. Nós estávamos acostumados a libertar nossas tristezas.
Agora você me abala. Me coloca contra a parede. E eu, que jamais quis - outra vida - que fosse assim. Você me deixou sem escolha. Agora a questão é mudar ou mudar.
Minha vida sem você ou com você, para sempre.
E me acho nova pra tomar certas decisões, e me acho imatura nas palavras, e me acho boba por não saber o que quero, realmente.
A verdade é que não sei se este ponto final me fará bem ou não. Minha vida imprevísivel e nova de novo. Mas, estava tão acostumada...
As reticências estão acomodadas. Eu não quero seguir mas também não quero ficar.
Será que há como subir?
Indecisão me apossou de tal forma que mal consigo respirar.
Me desculpe, se meu amor não for tão longe...'

(Song: In the end - Linkin Park)

Te quero


Não preciso chegar nem perto para ver que você está sofrendo.
Dá pra ver de longe que seus olhos tem chorado para sempre.
Não preciso caminhar junto com você, basta te observar e ver como você não vê tudo ao redor...
Que os carros na rua e as pessoas, e o movimento não fazem a mínima diferença.
Vejo seu desânimo para o trabalho, a preguiça, o sono.
Olha você, tentando durmir, a tv ligada até essas horas.
Me cansa a sua tristeza. Me encanta o seu jeito largado, o seu cabelo bagunçado.
Quem dera ter o poder de te ver de perto, sentir as suas dores por você.
Anular tudo que te envolve, tudo que ao redor perturba.
Não quero o seu sorriso, quero apenas o batom gasto, sua carência dissipada em mim.
Não preciso chegar nem perto para ver que você é tudo.é nada.
Dá pra ver de longe que suas palavras não tem som.
Não preciso de você - sei o quanto precisa de mim - o quanto de amor que colocou nesse meu peito.
Parece quase nada minha imagem em você.
Não preciso, mas meu querer é tanto.
Olha você, nada é, sem mim.



(várias músicas ao mesmo tempo, sorry.)